Feira Baiana da Agricultura Familiar gera renda para mais de 200 associações e cooperativas

Foto: SDR


Entre os dias 15 e 19 de dezembro ocorreu a 12ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, pela primeira vez no Parque Costa Azul, em Salvador. O evento foi aprovado pelo público e gerou renda para o interior do estado. De acordo com  Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado(SDR), foram mais de R$ 1,7 milhão injetados na receita de cerca de 200 associações e cooperativas, de todos os Territórios de Identidade, que participaram do evento.

Para o titular da SDR, Josias Gomes, foi um avanço muito grande. "Um desafio realizar a Feira, pela primeira vez independente, em um novo espaço, durante a pandemia. Se configura um quadro emblemático. Esses desafios foram vencidos e realizamos uma Feira que vai ficar na história da agricultura familiar baiana. Pessoas que nunca tiveram contato com esse segmento passaram a ter e deu grande visibilidade".

Para o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, a Feira foi um ponto de encontro mais efetivo com a população de Salvador. “Nas edições anteriores, recebíamos muitos visitantes, mas esta edição foi extraordinária. Os estandes e a praça de Gastronomia sempre muito procurados e sentimos na população aquele clima de família visitando toda a Feira e conhecendo os produtos e os agricultores, para saber a origem dos produtos. Temos um balanço muito positivo(...)".

O vice-presidente da União das Cooperativas e Associações da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado da Bahia (Unicafes), Ícaro Renê, afirmou que essa edição superou as expectativas de comercialização. "Os empreendimentos pensavam que com a pandemia, a retomada das vendas dos produtos seria devagar, mas surpreendeu. As vendas foram altíssimas nos estandes. Os Territórios estão felizes com a comercialização. A maioria das cooperativas acabaram seus estoques. Estamos felizes em saber que a Feira proporcionou grandes negócios para as organizações".

Os iogurtes de umbu, licuri e café da Cooperativa de Produção Agropecuária de Giló e região (Coopag), que são sempre a sensação das feiras, tiveram grande destaque nas vendas. Para o diretor comercial da cooperativa, Fred Jordão, a participação da cooperativa na Feira foi surpreendente. "Tivemos um volume de vendas acima do esperado. Trouxemos R$60 mil em mercadorias e já vendemos quase tudo. Isso tem impacto no nosso trabalho, porque fortalecemos a base produtiva lá no campo, principalmente, nesse momento, que choveu no Sertão e os produtores estão a todo vapor na produção do leite".

Com produtos derivados de milho não transgênico, a exemplo de mingau, canjica e o Flocão de Milho, a Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Copirecê), também deixou sua marca nesta edição. Para o presidente da Copirecê, Valterney Dourado, a participação da cooperativa nessa Feira foi um sucesso total. "Ultrapassamos os três mil quilos em venda no balcão, com todos produtos bem vendidos. Além disso, conseguimos prospectar novos clientes. Um aumento de R$26 mil na receita da cooperativa".

A 12ª edição da Feira realizou a comercialização de mais de 1500 produtos da agricultura familiar de toda a Bahia, como inovações como Licuriteria, Umbuteria, Cajuteria, Cachaçaria, Chocolateira e Cafeteria, muita música e Gastronomia.

Com informações da SDR/BA

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem