Brasil cai para Sérvia e fica com o vice no Mundial de vôlei feminino

Seleção leva prata pela quarta vez e segue sem título da competição
© FIVB/Divulgação

Agência Brasil | por Lincoln Chaves 

A seleção feminina de vôlei ficou com o vice-campeonato mundial. Neste sábado (15), em Apeldoorn (Holanda), as brasileiras foram superadas pela Sérvia por 3 sets a 0, com parciais de 26/24, 25/22 e 25/17. As europeias, que tinham levantado a taça na última edição, em 2018, levaram o bi de forma invicta, com 12 vitórias em 12 jogos, nove delas sem perder sets.

Considerada a principal jogadora da atualidade no mundo, a oposta Tijana Boskovic foi a protagonista da final, com 24 pontos. A ponteira Gabi e a central Carol com nove pontos cada, foram os destaques da equipe brasileira, que tinha sido vice-campeã da Liga das Nações, em julho. As sul-americanas vivem uma renovação, com apenas metade das remanescentes do time medalhista de prata na Olimpíada de Tóquio (Japão).

Quase

Foi a quarta vez que a equipe verde e amarela chegou à decisão, amargando novamente a medalha de prata. Em 1994, em casa, o Brasil perdeu de Cuba. Nas finais de 2006 e 2010, ambas no Japão, a algoz foi a Rússia. Apesar de bicampeãs olímpicas, nos Jogos de Pequim (China) e Londres (Reino Unido), em 2008 e 2012, respectivamente, as brasileiras ainda perseguem o inédito título mundial.

A equipe dirigida por José Roberto Guimarães (técnico nos vices de 2006 e 2010 e nos ouros olímpicos) finalizou a competição, realizada na Holanda e na Polônia, com dez vitórias e duas derrotas. Antes da decisão, o Brasil havia perdido somente na quarta rodada da primeira fase, para o Japão. Classificadas para o mata-mata com a terceira melhor campanha no geral, as brasileiras deram o troco nas japonesas nas quartas de final, vencendo, de virada, por 3 sets a 2. Na semifinal, derrubaram a Itália, da oposta Paola Enogu, por 3 a 1.

Arma na vitória sobre a Itália, na semifinal, o bloqueio foi o principal adversário brasileiro no primeiro set. As sérvias levaram cinco vezes a melhor no fundamento e não cederam pontos. Comandada por Boskovic, que anotou seis pontos na parcial, a seleção europeia foi melhor no ataque - mesmo cometendo mais erros (11 a 5). Uma bola fora de Gabi decretou a vitória da Sérvia por 27 a 25.

O cenário pouco se alterou no segundo set. O Brasil, enfim, pontuou no bloqueio, mas continuou pouco agressivo se comparado às rivais, que seguiam errando mais ataques e saques, mas se beneficiando pela insistência ofensiva. A seleção verde e amarela chegou a ter quatro pontos de vantagem no início e três no meio da parcial, mas cedeu a virada às europeias, que venceram por 25 a 22, novamente com ótima atuação de Boskovic, responsável por nove pontos das sérvias.

Com amplo domínio das ações, a Sérvia não deu chances ao Brasil no terceiro set. A equipe de Zé Roberto não conseguia variar as jogadas, enquanto as europeias, mais inteiras física e mentalmente, souberam distribuir melhor os ataques, confundindo a marcação brasileira e mantendo a vantagem sempre confortável. Coube a Boskovic, destaque da partida, decretar o triunfo por 25 a 17 e garantir o título às sérvias.

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem